Código Florestal e Pagamento por Serviços Ambientais: um estudo de caso com base na redução de carbono emitido e abordagem sistêmica das unidades de produção agrícola

  • Leticia Andrea Chechi Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Mariele Boscardin Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Ana Luísa Araújo de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: Pagamento por Serviços Ambientais, Propriedade Familiar, Conservação Ambiental, Abordagem Sistêmica.

Resumo

Com o novo Código Florestal (Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012) está se discutindo a implementação de um programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) para as áreas de conservação. Este trabalho objetiva avaliar a área de uma propriedade familiar em relação à adequação a nova legislação e a proposição de um programa de PSA.Foi realizado o mapeamento da área, visita in loco para observação das áreas de mata nativa e levantamento de informações com o proprietário.Com base nestas informações, realizou-se o cálculo da conservação do carbono e um diagnóstico dos sistemas de produção com base na abordagem sistêmica.O estudo de caso apontou para a importância de um PSA em uma propriedade familiar, tendo como base a área de conservação existente, as emissões de carbono evitado, no caso de desmatamento, e o baixo custo em relação a uma possível recuperação da área.

Biografia do Autor

Leticia Andrea Chechi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Engenheira Florestal formada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), campus de Frederico Westphalen, RS, mestre e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR), na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Interesse em ensino, pesquisa e extensão, principalmente, nas temáticas de políticas públicas, mudanças climáticas, meio ambiente, inovação, cadeias produtivas, erva-mate e agricultura orgânica e agroecológica. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural (GEPAD) e do Grupo de Pesquisa em Agroecologia e Circuitos de Comercialização de Alimentos 
Mariele Boscardin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Campus de Palmeira das Missões- RS e Mestre em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atuou em projetos de pesquisa e extensão voltados para a área de Desenvolvimento Rural com ênfase para os estudos em sucessão familiar, juventude e gênero, ambos relacionados a agricultura familiar e em projetos voltados a área de produção animal com destaque para a alimentação e nutrição de ruminantes e forragicultura.

Ana Luísa Araújo de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

É Engenheira Agrônoma graduada pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Campus de Alta Floresta) (2011). Especialista em Educação do Campo e Agroecologia na Agricultura Familiar e Camponesa (2015) e Mestre em Engenharia Agrícola, área de concentração de Planejamento e Desenvolvimento Rural Sustentável, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) (2014). Atualmente cursa Doutorado no Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Rural (PGDR/UFRGS). Tem experiência com pesquisa em Desenvolvimento Rural Sustentável, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão ambiental, política públicas, agricultura familiar e Amazônia Legal.

Publicado
2019-08-27
Como Citar
Chechi, L., Boscardin, M., & Oliveira, A. (2019). Código Florestal e Pagamento por Serviços Ambientais: um estudo de caso com base na redução de carbono emitido e abordagem sistêmica das unidades de produção agrícola. Desenvolvimento Em Questão, 17(48), 213-230. https://doi.org/10.21527/2237-6453.2019.48.213-230
Seção
Artigos