MOVIMENTO FEMINISTA E RECONHECIMENTO DAS DONAS DE CASA NA OBRA DE CLARICE LISPECTOR

Palavras-chave: trabalho doméstico, reconhecimento, movimento feminista

Resumo

Este artigo aborda a ausência de reconhecimento das mulheres que realizam trabalho doméstico não remunerado seja em tempo integral, seja na dupla jornada. Para tanto, toma-se como base o conto “A imitação da rosa”, presente no livro “Laços de Família”, de Clarice Lispector, com o objetivo de expor o conflito enfrentado por diversas mulheres referente ao não reconhecimento do espaço privado e do trabalho doméstico, situação ainda vivenciada no século XXI. Analisa-se a teoria do reconhecimento desenvolvida por Axel Honneth e Nancy Fraser, expressando as suas contradições e buscando compatibilizá-las de modo a permitir a ressignificação dessas mulheres. Por fim, será abordada a importância do autorreconhecimento das mulheres na articulação de um movimento feminista que busque atingir essa finalidade, permitindo a sua participação enquanto pares na esfera social.

Biografia do Autor

Mariana Paiva Frizzera, Faculdade de Direito de Vitória

Mestre em Direitos e Garantias Fundamentais pela Faculdade de Direito de Vitória - FDV (2018). Possui especialização em Direito Processual Civil pela Faculdade de Direito de Vitória (2016). Graduada em Direito pela Faculdade de Direito de Vitória (2014). Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Privado. Pesquisadora na área de Direito do Consumidor, Direitos Humanos, questões relacionadas as mulheres, gênero e igualdade. 

 

Nelson Camatta Moreira, Faculdade de Direito de Vitória

Pós-doutor em Direito pela Universidad de Sevilla (bolsa CAPES). Pós-doutor em Direito em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Doutor em Direito pela Unisinos, com estágio anual na Universidade de Coimbra (bolsa CAPES). Mestre em Direito pela Unisinos (bolsa CAPES). Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu (doutorado e mestrado) e da graduação em Direito da Faculdade de Direito de Vitória (FDV-ES). Líder do Grupo de Pesquisa CNPq Teoria Crítica do Constitucionalismo, da FDV. Líder do Grupo de Estudos Direito e Psicanálise (FDV-ES/Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória). Profesor Invitado, adjunto al Programa Academic Visitor de la Facultad de Derecho de la Universidad de Sevilla. Miembro del Grupo de Investigación Antagónicos de la Facultad de Derecho de la Universidad de Sevilla. Colaborador en Seminarios con la Cátedra Abierta de Derecho y Literatura de la Universidad de Málaga. Presidente (biênio 2019-2020) e Membro Honorário Rede Brasileira Direito e Literatura (RDL). Coordenador do Projeto de Extensão Café, Direito e Literatura (FDV-ES). Ex-diretor da Escola Superior de Advocacia do Espírito Santo (OAB-ESA/ES), triênio 2010-2012. Ex-professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Ex-coordenador adjunto do IPA-Metodista (IPA-RS), 2005. Tem experiência em gestão de curso acadêmico e no Direito, com ênfase em Direito Público, especialmente nos seguintes temas: Direito Constitucional, Direitos Fundamentais, Hermenêutica, Filosofia do Direito, Direito e Literatura e Direito e Psicanálise.

Publicado
2019-12-23
Como Citar
FrizzeraM., & MoreiraN. (2019). MOVIMENTO FEMINISTA E RECONHECIMENTO DAS DONAS DE CASA NA OBRA DE CLARICE LISPECTOR. Revista Direitos Humanos E Democracia, 7(14), 232-248. https://doi.org/10.21527/2317-5389.2019.14.232-248