Rede de Colaboração da Agricultura Familiar no Município de Porto Velho (RO)

Palavras-chave: Desenvolvimento Sustentável, Agricultura Familiar, Políticas Públicas, Teoria Ator-Rede.

Resumo

Há necessidade de se desenvolver uma economia alternativa onde a exploração pode ser evitada, novas perspectivas de ocupação produtiva e reforçar trajetórias de inclusão social. Portanto o objetivo deste artigo é analisar o processo de relações, práticas e translações da formação de uma rede da agricultura familiar no município de Porto Velho-RO, sob a ótica da Teoria Ator-Rede.  Sua relevância consiste em provocar reflexões sobre quem são os atores dessa rede, como influenciam e são influenciados e quais os resultados dessa interação. Este artigo caracteriza-se por ser uma pesquisa analítica, de natureza qualitativa e direcionada por um estudo de caso. Utilizou-se da Teoria Ator-Rede (TAR), a qual traz contribuições importantes, por se tratar de uma abordagem que propõe uma modificação em relação ao que se entende por “social”.  Conclui-se que a rede foi construída em torno de três pilares: ideologia campesina, mercado e setor público. A ideologia campesina compreende a organização dos agricultores, Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Brasil, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) e União de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (UNICAFES). O setor público é representado pelas secretarias municipais SEMED, SEMAGRIC juntamente com as escolas municipais, pela CONAB e EMATER. O mercado compreende o SEBRAE e os consumidores de produtos agroecológicos. Verificou-se que o setor público juntamente com a ideologia camponesa são responsáveis pela inclusão de agricultores mais vulneráveis à rede, e que, à medida que os agricultores vão se consolidando, migram do papel de camponês para o de empreendedor.

Biografia do Autor

Eliane Alves Silva, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Atualmente é discente do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Administração da Universidade Federal de Rondônia (início em 2018), atuando na linha de pesquisa Governança, Sustentabilidade e Amazônia. Possui graduação em ADMINISTRAÇÃO pela Universidade Estadual de Londrina (2007). Experiência como professora de nível técnico profissionalizante na área de Administração, com ênfase em Administração de Empresas. Ministrando disciplinas de: Teoria Geral da Administração, Recursos Humanos, Departamento Pessoal, Psicologia e Cultura Organizacional, Logística, Administração da Produção, Matemática Financeira Básica Contabilidade Básica e Marketing. Experiência no ensino de línguas (Inglês e Espanhol).

Sérgio Nogueira do Nascimento, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Atualmente é mestrando em Administração no programa de pós graduação em Administração da
Universidade Federal de Rondônia. Possui MBA executivo em Gerenciamento Ágil de Projetos (IDAAM),
Aperfeiçoamento de Gestores do SUS (FIOCRUZ),e pós graduação em Administração Hospitalar e Sistemas de
Saúde (FGV).Graduado em Administração com ênfase em análise de sistemas pelo Centro Universitário do Norte (2001). Servidor público federal na Superintendência da Zona Franca de Manaus, atuando principalmente no seguinte tema: p&d, amazônia ocidental, isenção fiscal.

Mariluce Paes de Souza, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Pós-Doutora em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2012), Doutora em
Ciências Socioambientais pela Universidade Federal do Pará - UFPA/Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - NAEA (2004). Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999). Especialista em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989). Graduada em Administração pela Universidade Federal de Rondônia (1984). Atualmente é Coordenadora do Centro de Estudos Interdisciplinar em Desenvolvimento Sustentável da Amazônia - CEDSA, Professora associada da Universidade Federal de Rondônia, atua na Departamento Acadêmico de Administração na graduação e no Programa de Pós-Graduação Mestrado em Administração. Coordena a Linha de Pesquisa Governança, Sustentabilidade e Amazônia. Atua nos campos temáticos Sustentabilidade e Competitividade, Governança, Arranjos e Redes Organizacionais e Organizações e Ações Coletivas. Pesquisadora em sistemas agroambientais, produtos florestais não madeiráveis, relacionamentos interorganizacionais, desenvolvimento sustentável da Amazônia, privilegia as abordagens empreendedorismo e inovação social, macromarketing, aprendizagem, cadeias produtivas, arranjos produtivos locais, redes de cooperação e arranjos organizacionais, interorganizacionais complexos e processos econômicos com ênfase em desenvolvimento local e regional. Coordena Projeto Casadinho CNPq/CAPES em parceria com pesquisadores da EA/UFRGS.

Eugenio Avila Pedrozo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Santa Maria (1980), graduação
em Administração de Empresas pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (1986),
graduação em Ciência Contábeis pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (1988),
mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e doutorado no Institut
National Polytechnique de Lorraine (1995). Atualmente é professor Titular da Universidade Federal do Rio
Grande do Sul. Tem experiência na área de Administração e Agronegócios, com ênfase em Administração de
Setores Específicos, atuando principalmente nos seguintes temas: sustentabilidade ou desenvolvimento
sustentável, complexidade, base da pirâmide, RSC - responsabilidade social corporativa, configurações
interorganizacionais, estratégia coopetitiva, estratégias sustentáveis, inovações sustentáveis, educação para a sustentabilidade, sistêmica, multidimensionalidade, multinível, inter/transdisciplinaridade, prática e teoria da atividade , BOP - base da pirâmide, Amazônia e agronegócios.

Publicado
2020-05-20
Como Citar
SilvaE., NascimentoS., SouzaM., & PedrozoE. (2020). Rede de Colaboração da Agricultura Familiar no Município de Porto Velho (RO). Desenvolvimento Em Questão, 18(52). Recuperado de https://revistas.unijui.edu.br/index.php/desenvolvimentoemquestao/article/view/9187