PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS POR QUILOMBOLAS NA GESTAÇÃO E LACTAÇÃO, E RISCOS NO USO INDISCRIMINADO

Palavras-chave: Etnobotânica; gravidez; amamentação; toxicidade de plantas

Resumo

Estudos em comunidades quilombolas sobre plantas medicinais utilizadas durante a gestação e lactação ainda são incipientes e os dados sobre as espécies medicinais que causam efeitos teratogênicos, embriotóxicos, abortivos e contraindicados na lactação são considerados poucos e muitas vezes contraditórios. Diante disso, este trabalho teve como objetivo realizar um levantamento etnobotânico e discutir sobre o uso das plantas com fins medicinais utilizadas por gestantes e lactantes de comunidades quilombolas de Vitória da Conquista – Ba. Os dados foram adquiridos por meio de entrevistas semiestruturadas e coleta das plantas. Foi possível observar que a maioria das mulheres não tem assistência médica e fazem uso de plantas sem acompanhamento da equipe de saúde. O levantamento mostrou que 27 espécies são usadas frequentemente durante o período de gestação e lactação, dentre elas 7 são contraindicadas, merecendo destaque às plantas erva cidreira (Lippia alba) e erva doce (Foeniculum vulgare) por serem amplamente usadas para diferentes fins medicinais. Diante disso, foi possível verificar que as mulheres fazem uso de plantas contraindicadas na gestação e lactação, necessitando em caráter de urgência de orientação correta quanto ao uso de espécies medicinais, bem como mecanismos de assistência que alertem sobre o uso das plantas de forma indiscriminada e os ricos na gestação e/ ou lactação.

Publicado
2020-11-04
Como Citar
CamposP. S. S., CorreiaR., & MariscoG. (2020). PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS POR QUILOMBOLAS NA GESTAÇÃO E LACTAÇÃO, E RISCOS NO USO INDISCRIMINADO. Revista Contexto & Saúde, 20(40), 236-243. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2020.40.236-243
Seção
Ciências Básicas & Saúde