Qualidade de vida, depressão e adesão medicamentosa de pacientes em hemodiálise

Autores

Palavras-chave:

Depressão, insuficiência renal crônica, qualidade de vida, diálise renal, adesão à medicação

Resumo

Objetivo: comparar as médias de qualidade de vida, adesão medicamentosa e indicativos de depressão em pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico, em duas unidades nefrológicas. Método: estudo transversal com 183 pacientes que possuíam diagnóstico de doença renal crônica, em hemodiálise. Realizada entrevista individual utilizando os instrumentos: questionário sociodemográfico, Kidney Disease and Quality of Life Short-Form, Inventário de Depressão de Beck e Escala de Adesão a Medicação de Morisky – 8 itens. Dados analisados com estatística descritiva e inferencial. Resultados: 63,4% dos pacientes eram do sexo masculino e 90,7% aposentados. A dimensão da qualidade de vida que obteve maior média em ambas as unidades foi “Apoio da Equipe de Diálise”, enquanto “Situação de Trabalho” e “Limitações causadas por problemas físicos”, as menores médias. “Efeitos da Doença Renal” e adesão medicamentosa apresentaram médias mais elevadas na Unidade I. Também, 47% dos pacientes da Unidade I e 33% da outra unidade possuíam sintomas indicativos de depressão. Conclusões: a doença renal crônica interfere negativamente na qualidade de vida dos pacientes, a prevalência de depressão entre eles é elevada e a adesão medicamentosa pode reduzir a percepção dos efeitos da doença. Intervenções são necessárias no intuito de promover a adesão medicamentosa e o bem-estar.

Biografia do Autor

Carolina Renz Pretto, Universidade Federal de Santa Maria

Enfermeira graduada pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ (2009). Especialista em Enfermagem em Terapia Intensiva pela UNIJUÍ (2011). Especialista em Farmacologia e Interação medicamentosa pelo Centro Universitário Internacional de Curitiba/PR ? UNINTER (2012). Especialista em Saúde da Família pela Universidade aberta do Sistema Único de Saúde e Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UNA SUS/UFCSPA (2013). Especialista em Docência no Ensino Superior pelo Centro Universitário "Barão de Mauá" (2015). Especialista em Auditoria em Serviço de Enfermagem - Unyleya (2020). Mestre em Atenção Integral à Saúde pela Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ em ampla associação com a Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ (2017). Experiência em saúde da família e urgência e emergência. Atualmente cursando Doutorado em Enfermagem - UFSM.

Christiane de Fatima Colet , Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), concluída no ano de 2005. Mestre e doutora em Ciências Farmacêuticas pelo Programa de Pós Graduação em Ciências Farmacêutica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desenvolveu dissertação e tese na área de concentração de Assistência Farmacêutica e mais especificamente na subárea de Estudo de Utilização de Medicamentos. Atualmente é professora Adjunta do Departamento de Ciências da Vida da UNIJUÍ, coordenadora do curso de Farmácia desta instituição e professora Permanente do Programa de Pós Graduação em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade e colaboradora no Programa de Pós Graduação em Atenção Integral a Saúde. .

Publicado

2022-11-16

Como Citar

Feron Kirschner Sonza, M. ., Renz Pretto, C. ., Benetti, S. A. W., & de Fatima Colet , . C. . (2022). Qualidade de vida, depressão e adesão medicamentosa de pacientes em hemodiálise. Revista Contexto & Saúde, 22(46). Recuperado de https://revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/12344

Edição

Seção

Artigos