GRUPO OPERATIVO COMO ESTRATÉGIA DE AUTOCUIDADO PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2

  • Tiara Cunha Silva
  • Davyd Christyan de Menezes Ferreira Leal
  • Juliana Ramos Bruno
Palavras-chave: diabetes mellitus, autocuidado, educação em saúde.

Resumo

Objetivo: Conhecer a percepção dos diabéticos sobre a patologia, o tratamento e o autocuidado antes e após a implementação de um grupo operativo. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo descritivo, longitudinal de abordagem qualitativa, realizado com portadores de diabetes mellitus tipo 2 cadastrados na área de abrangência da equipe 07 da Unidade Saúde da Família 712 Sul no município de Palmas-Tocantins, que tiveram adesão a três ou mais encontros do grupo operativo. Foi realizado cinco encontros do grupo no período de maio a agosto de 2015.  A coleta de dados ocorreu através da entrevista semi-estruturada antes e após a implementação do grupo operativo. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do CEULP-ULBRA sob parecer nº 1063446. Resultados e Discussão: Aceitaram participar da pesquisa dezessete diabéticos, sendo que destes, nove participantes tiveram adesão a três ou mais encontros do grupo operativo. As falas foram analisadas com base na Análise de Conteúdo e originou as seguintes categorias: Conhecimento acerca da doença, Mudança no estilo de vida, Dificuldades encontradas para seguir o tratamento e Sentimentos frente à doença.  Conclusão: Os resultados do estudo demonstraram que a implementação do grupo operativo realizado a partir de abordagens lúdicas, dialógica, participativa, com o favorecimento da escuta reflexão e problematização da realidade do usuário, proporcionaram aos diabéticos uma melhor compreensão acerca do seu processo saúde-doença, incorporando mudanças de comportamento significativas para melhoria da qualidade de vida.

Publicado
2019-12-17
Como Citar
Silva, T., Leal, D., & Bruno, J. (2019). GRUPO OPERATIVO COMO ESTRATÉGIA DE AUTOCUIDADO PARA PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2. Revista Contexto & Saúde, 19(37), 69-78. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2019.37.69-78
Seção
Educação & Saúde