PRÁTICAS E ESTÁGIOS DE ODONTOLOGIA COMO ESTRATÉGIAS DE MUDANÇAS PARA FORMAÇÃO NO SUS

  • Bibiana Arantes Moraes Universidade Federal de Goiás
  • Cenise Cristina Zago Cassiano Universidade Federal de Goiás
  • Nilce Maria da Silva Campos Costa Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Formação profissional; Odontologia; Sistema Único de Saúde

Resumo

Este estudo buscou analisar as atividades desenvolvidas nos estágios e práticas do curso de graduação em Odontologia de uma instituição pública federal de ensino superior, inserido nos programas Pró- Saúde (Programa Nacional da Formação em Saúde) e PET-Saúde (Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde). Foram analisados o Estágio de Odontologia Coletiva II e o Estágio não curricular do PET-Saúde/Rede de Atenção à Saúde, por meio da descrição das atividades de formação profissional, vivenciadas no Sistema Único de Saúde (SUS), sob a perspectiva do preceptor. Realizou-se um estudo de abordagem qualitativa e triangulação de dados, por meio, da análise documental do projeto político pedagógico do curso e do guia do estágio, a observação participante no campo de estágio e análise de conteúdo das entrevistas semiestruturadas com preceptores dos estágios. Os resultados demonstraram o predomínio da formação orientada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) e a contribuição dos programas citados na integração ensino-serviço-comunidade, favorecendo a implementação das DCN nos cenários de prática. A interprofissionalidade, entretanto, encontra-se incipiente, sendo observada a falta de clareza e de disposição dos atores envolvidos para desenvolvê-la. A pesquisa indicou que a realização dos estágios trouxe aos estudantes, oportunidades de aprendizagem, reflexão e compreensão do SUS.

Biografia do Autor

Cenise Cristina Zago Cassiano, Universidade Federal de Goiás

Graduação em Nutrição (1986) e Bacharel em Instrumento Piano (1987) pela Universidade Federal de Goiás. Mestre em Ensino na Saúde pela Faculdade de Medicina- Universidade Federal de Goiás. Efetiva da Secretaria Municipal de Saúde, gestora na Coordenação Geral do Distrito Sanitário Noroeste. Efetiva na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, professora do Departamento de Medicina. Experiência na área de Nutrição,com ênfase em Educação Nutricional e gestão em Saúde Pública.

Nilce Maria da Silva Campos Costa, Universidade Federal de Goiás

Graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Goiás, Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Goiás (1996) e Doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005). Professora Titular da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás. Docente do Programa de Mestrado e Doutorado em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da UFG. Tem experiência nas áreas de nutrição e educação, atuando principalmente na linha de pesquisa em Ensino na saúde, com os temas avaliação curricular, formação e atuação do nutricionista e docência no ensino superior em saúde. Diretora da Faculdade de Nutrição da UFG de 1997 a 2001 e de 2005 a 2009. Coordenou o Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da Faculdade de Medicina da UFG de 2011 a 2015. Coordenadora do Programa de Reorientação da Formação Profissional de cursos da área da saúde (Edital MS/ME/2008) - Pro Saúde 2, dos cursos de Nutrição e Farmácia da UFG, de 2008 a 2011. Coordenou o Projeto de Criação da Linha de pesquisa em Ensino na Saúde da Faculdade de Medicina - Pro Ensino na Saúde - (Edital Capes 24/2010) até 2015. Líder dos grupos de pesquisa do diretório do CNPq: Avaliação Curricular em Saúde e Ensino na Saúde.

Publicado
2020-06-30
Como Citar
MoraesB., CassianoC., & CostaN. (2020). PRÁTICAS E ESTÁGIOS DE ODONTOLOGIA COMO ESTRATÉGIAS DE MUDANÇAS PARA FORMAÇÃO NO SUS. Revista Contexto & Saúde, 20(38), 191-199. https://doi.org/10.21527/2176-7114.2020.38.191-199
Seção
Educação & Saúde