Modernização do Direito: a criação de Startups Jurídicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21527/2176-6622.2022.57.12073

Palavras-chave:

Startups. Lawtech. Legaltech. Modernização do Direito. Mudanças Jurídicas.

Resumo

Com a realidade brasileira da superlotação de processos e da morosidade do Poder Judiciário, nota-se uma insatisfação dos cidadãos no atendimento aos seus anseios. É nesse contexto que a tecnologia surge como uma ferramenta para solucionar esses problemas e, por sua vez, as startups Jurídicas propõem soluções inovadoras que possam acelerar a resolução dos conflitos. Assim, este estudo teve como objetivo analisar a modernização do Direito à luz do impacto que as startups Jurídicas promoveram no âmbito da aplicação dessa ciência. Quanto à metodologia, a pesquisa é classificada como qualitativa, por meio da análise de conteúdo. Entre os resultados nota-se a ascensão das startups no mercado, todavia ainda existem desafios a serem superados, como a validação dessas empresas, a criação de um ambiente virtual mais seguro, o elevado custo da tecnologia e a preocupação em manter o aspecto humano do Direito, assegurando, de fato, a justiça. Não obstante, conclui-se que as startups Jurídicas representam um meio de simplificar o exercício jurídico e de promover não só o acesso ao Judiciário, mas a resolução dos conflitos.

Biografia do Autor

Letícia Beatriz Arruda Gomes, Universidade Federal do Ceará

Graduanda em Direito, cursando o sexto semestre, na Universidade Federal do Ceará (UFC).  Participante do XIX Encontro de Iniciação à docência da Unifor, apresentando o artigo “O conhecimento do Direito como ferramenta útil para o exercício profissional do administrador”; Nível B1, intermediário, no Test of English as a Foreign Language (TOEFL); Monitora da disciplina de Instituições de Direito 2019.1 da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da disciplina de Direito Administrativo 2019.2 da Universidade Federal do Ceará (UFC), ambas do curso de Administração; Pesquisadora da linha de economia do Grupo de Estudos em Direito e Assuntos Internacionais (GEDAI) da UFC; Integrante da Liga de Arbitragem da Universidade Federal do Ceará; Estagiária do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT7) de janeiro a novembro de 2020; Estagiária da Procuradoria Geral do Estado do Ceará (PGE-CE) desde dezembro de 2020.

Kilvia Souza Ferreira, Dra., Universidade Federal do Ceará

Professora Adjunta da Universidade Federal do Ceará no Departamento de Administração - FEAAC, Graduada em Direito pela Universidade Federal do Ceará (2000) e mestre em Direito Público (Ordem Jurídica Constitucional) pela Universidade Federal do Ceará (2004). Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (2013). Leciona as disciplinas de Instituições de Direito Público e Privado, Legislação Trabalhista e Previdenciária, bem como Legislação Tributária e Comercial; Atua como representante das Unidades Curriculares do Curso de Administração (Gestão de Pessoas e Comportamento, Administração Financeira e Orçamentária, Operações e Sistemas, Métodos Quantitativos, Administração Mercadológica, Administração Geral, Fundamentos Contábeis, Econômicos e Jurídicos e Formação Integrada). Atuou como membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Direito no Centro de Ensino Superior do Ceará - Faculdade Cearense.

Fabiano Souza Andrade, Universidade Federal do Ceará

Graduando em Administração, cursando o 6º semestre, na Universidade Federal do Ceará. Estagiário da empresa Grupo J. Sleiman desde novembro de 2020. Estagiário do Banco do Nordeste do Brasil de outubro de 2018 a outubro de 2020. Cursos profissionalizantes: Auxiliar de Recursos Humanos - UNIFOR; Auxiliar Administrativo - UNIFOR; Atendimento ao Cliente - UNIFOR; Trabalho em Equipe - UNIFOR; Comunicação Empresarial - UNIFOR.

Downloads

Publicado

2022-08-11

Como Citar

Arruda Gomes, L. B., Ferreira, K. S., & Andrade, F. S. (2022). Modernização do Direito: a criação de Startups Jurídicas. Revista Direito Em Debate, 31(57), e12073. https://doi.org/10.21527/2176-6622.2022.57.12073