Direitos sexuais e reprodutivos e a criminalização do aborto como estratégia do biopoder

Autores

  • Joice Nielsson
  • Letícia Gheller Zanatta Carrion UNIJUI

Palavras-chave:

Direitos Humanos. Direitos Sexuais e Reprodutivos; Liberdade reprodutiva. Biopolítica.

Resumo

Os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres suscitam grande debate social e jurídico, sendo inegável a necessidade de ampliar a discussão para avançar na busca da igualdade de gênero. O presente artigo pretende fazer uma análise sobre a temática tratando das construções de gênero e dos direitos humanos, da liberdade reprodutiva da mulher, bem como da biopolítica e do controle exercido sobre o corpo feminino, com ênfase na análise da criminalização do aborto como uma estratégia biopolítica de controle dos corpos femininos.  Para conseguir desenvolver a pesquisa será utilizado o método o dedutivo, com a produção baseada em livros, artigos e legislações sobre o tema, ou seja, uma pesquisa qualitativa.

Biografia do Autor

Letícia Gheller Zanatta Carrion, UNIJUI

Doutoranda em Direitos Humanos pela UNIJUÍ, Mestre em Direito pela URI, membro do Grupo de Pesquisa Biopolítica e Direitos Humanos. Advogada. Professora e Coordenadora do Núcleo de Práticas Jurídicas e Professora no Centro Universitário FAI, de Itapiranga/SC.

Publicado

2022-11-14

Como Citar

Nielsson, J., & Carrion, L. G. Z. . (2022). Direitos sexuais e reprodutivos e a criminalização do aborto como estratégia do biopoder . Revista Direito Em Debate, 31(58). Recuperado de https://revistas.unijui.edu.br/index.php/revistadireitoemdebate/article/view/13495