Entre o Neotecnicismo Empreendedor e a Autoridade Docente

Autores

  • Carlos Betlinski Universidade Federal de Lavras - UFLA
  • Juliana da Silva Lopes Kaloczi Universidade Federal de Lavras - UFLA

DOI:

https://doi.org/10.21527/2179-1309.2024.121.13688

Palavras-chave:

Autoridade;, Neotecnicismo empreendedor;, Rousseau;, Hannah Arendt.

Resumo

O neotecnicismo empreendedor, compreendido como acesso e manejo às tecnologias de informação e comunicação em seu aspecto primário da socialização, somado a uma leitura pragmática das atividades sociais, influenciam os novos contextos educacionais. Nesta conjuntura, a autoridade docente entrou em declínio, uma vez que deste é retirado do papel central no processo educacional, sendo substituído, cada vez mais, por dispositivos tecnológicos. Também a sua autoridade como detentora dos saberes sobre os objetos dos currículos educacionais declina, na medida em que todos têm acesso à informação na palma da mão, por meio de smartphones, por exemplo. Ao analisar essa temática, no presente trabalho buscou-se responder à seguinte questão: entre o passado e o futuro, quais desafios se colocam para o exercício do ofício do educador no presente? Para responder a esse questionamento, realizou-se uma pesquisa bibliográfica, tendo como os principais referenciais teóricos Jean Jacques Rousseau (1995) e Hannah Arendt (2007).  A partir do entendimento do papel do docente, segundo as perspectivas filosóficas de Rousseau e de Arendt, atenta-se sobre os desafios enfrentados pelos educadores na sociedade contemporânea para exercer sua função social. Estas perspectivas filosóficas permitiram atribuir valor ao papel do educador nos novos contextos, reafirmando a figura do educador governante como autoridade social e pedagógica, responsáveis pela formação humana para a vida comum e para a sociedade democrática.

Referências

ALMEIDA, Vanessa Sievers de. Educação e liberdade em Hannah Arendt. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.34, n.3, p. 465-479, set./dez. 2008. pp. 465-479.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2007.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. Tradução de Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018. Regra Geral.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.

CAMPOS, Luis Fernando Altenfelder de Arruda; LASTÓRIA, Antônio Calmon Nabuco. Semiformação e inteligência artificial no ensino. Pro-Posições, Campinas, v. 31, n. 1, p. 1-18, fev. 2020.

CRIOLO. Menino mimado (2017). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=f28vdAn5TBU. Acesso em 23/02/2021.

GRUSCHKA, Andreas; ZUIN, Antônio Álvaro Soares. A invasão do smartphone na sala de aula: sobre a autoridade do professor, violência, o privado e o público no ensino. Devir Educação, Lavras, v. 4, n. 1, p. 199-221, jan./jun., 2020.

GUIMARÃES, Daniela Cavani Falcin. A afetividade na sala de aula: as atividades de ensino e suas implicações na relação sujeito-objeto. 2008. 148 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão. São Paulo: Editora Centauro, 2002.

JAEGER, Werner. Paideia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Lisboa: Edições 70, 2007.

LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

MANACORDA, Mário Alighiero. História da Educação: da Antiguidade aos nossos dias. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

PEREIRA, Antônio Igo Barreto; ZUIN, Antônio Álvaro Soares. Autoridade enfraquecida, violência contra professores e trabalho pedagógico. Educar em Revista, Curitiba, v. 35, n. 76, p. 331-351, ago. 2019. FapUNIFESP (SciELO).

ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio, ou, Da Educação. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

ROUSSEAU, Jean Jacques. O contrato social. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

WENDT, Cristiano Eduardo; DALBOSCO, Cláudio Almir. Iluminismo pedagógico e educação natural em Jean-Jacques Rousseau. Educação, Santa Maria, v. 37, n. 2, p. 229-240, maio/ago. 2012. pp. 229-240.

ZUIN, Vânia Gomes; ZUIN, Antônio Álvaro Soares. A autoridade pedagógica diante da tecnologia algorítmica de reconhecimento facial e vigilância. Educação & Sociedade, Campinas, v. 41, p. 1-15, 2020.

Downloads

Publicado

2024-01-02

Como Citar

Betlinski, C., & Kaloczi, J. da S. L. (2024). Entre o Neotecnicismo Empreendedor e a Autoridade Docente. Revista Contexto & Educação, 39(121), e13688. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2024.121.13688

Edição

Seção

Educação, Currículo e Trabalho