Perfil bioquímico e de sensibilidade de Eschirichia coli isoladas de leite mastítico bovino

Autores

  • Bruna Carolina Ulsenheimer Universidade Federal de Santa Maria - UFSM http://orcid.org/0000-0003-3366-2062
  • Tatiana Melina Caduri Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Silvana Konageski Dalla Rosa Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Luciana Mori Viero Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Luciane Ribeiro Viana Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Saúde pública, microbiologia, mastite, bactérias, diagnóstico.

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência, o comportamento bioquímico, bem como o perfil de sensibilidade e resistência das cepas de Escherichia coli, isoladas na região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (RS). Método: Foram analisadas 919 amostras de leite mastítico provenientes da região Noroeste do Estado do RS, realizou-se o exame de cultura bacteriana, bioquímico e antibiograma no Laboratório de Microbiologia Veterinária da Unijuí. Para a cultura, foi realizado a semeadura do leite em ágar sangue ovino 5% e ágar MacConkey. Os testes bioquímicos desenvolvidos, foram: o teste da produção de gás sulfídrico e de indol, motilidade, citrato, produção de urease, além dos testes de fermentação de carboidratos (glicose, arabinose, lactose, manose, manitol, sorbitol, sacarose e trealose).  Quanto ao antibiograma, alíquotas de leite foram espalhadas em ágar Mueller Hinton, e sobre esta, foram dispostos discos de antibióticos. Resultados: A Escherichia coli, foi a terceira bactéria com maior prevalência encontrada, isolada em 101 amostras, com frequência de 11%. O perfil bioquímico encontrado, foi de alta positividade para os testes de glicose, lactose, maltose, manitol, sorbitol, sacarose e trealose. Esta bactéria demonstrou maior sensibilidade antimicrobiana para a enrofloxacina (92%), ciprofloxacina (85%) e gentamicina (82%), e resistência para a penicilina (95%), ampicilina (86%) e eritromicina (80%). Conclusões: Mastites causadas por Escherichia coli, representam um entrave à produção leiteira, pelo grande impacto causado ao setor, tanto econômico quanto sanitário, além dos riscos causados a saúde pública.

Biografia do Autor

Bruna Carolina Ulsenheimer, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Medicina Veterinária da UFSM

Tatiana Melina Caduri, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Médica Veterinária

Silvana Konageski Dalla Rosa, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Bióloga

Luciana Mori Viero, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Professora Doutora do curso de Medicina Veterinária da Unijuí

Luciane Ribeiro Viana, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Professora Meste, do curso de graduação em Medicina Veterinária da Unijuí

Publicado

2022-11-16

Como Citar

Ulsenheimer, B. C., Caduri, T. M., Konageski Dalla Rosa, S., Mori Viero, L., & Ribeiro Viana, L. (2022). Perfil bioquímico e de sensibilidade de Eschirichia coli isoladas de leite mastítico bovino. Revista Contexto & Saúde, 22(46). Recuperado de https://revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoesaude/article/view/10935

Edição

Seção

Artigos