ENSINO HÍBRIDO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA INTERSECÇÃO POSSÍVEL

Palavras-chave: Tecnologias digitais, Processo pedagógico, Meio Ambiente

Resumo

Esta pesquisa apresenta contribuições teórico-metodológicas para o ensino de Educação Ambiental (EA) na perspectiva do Ensino Híbrido. O objetivo deste estudo foi investigar se a organização da atividade didática, no modelo de Ensino Híbrido, proporciona condições adequadas para o despertar de um sujeito ecológico pautado na Educação Ambiental Crítica. Os dados da pesquisa foram organizados e interpretados por meio da Análise de Conteúdo e evidenciaram que as ações de EA possibilitaram a condução de uma nova perspectiva dos estudantes em relação ao meio ambiente, denotando um desejo de mudança e transformação ambiental, no entanto, destacou a necessidade de ampliação do discurso de EA que considere as questões sociais; demonstrou, ainda, que as tecnologias foram aliadas no processo de ensino, dinamizando a aprendizagem e culminando em ações de autonomia e criticidade por parte dos alunos.

Biografia do Autor

Suelen de Gaspi, Instituto Federal do Paraná

Doutoranda em Educação para a Ciência e a Matemática (UEM). Mestre em Ensino de Ciências Ambientais (UEM). Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática (2010) e graduação em Ciências Econômicas pela Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (2007). Atuou como professora e coordenadora do Curso Técnico em Administração do Colégio Estadual João Teothônio Netto - Ensino Médio, Profissional e Normal de Moreira Sales, e já atuou como professora de matemática na mesma instituição. Foi servidora Pública da Prefeitura Municipal de Moreira Sales, na área de Previdência e Recursos Humanos. É atualmente servidora do Instituto Federal do Paraná, como Assistente em Administração. Linhas de pesquisa: Representações Sociais, Educação Ambiental e Tecnologias na Educação.

Carlos Alberto de Oliveira Magalhães Júnior, Universidade Estadual de Maringá

Licenciado em Ciências pela Universidade Estadual de Maringá (2002), Especialista em Educação pela Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR/Campo Mourão (2004), Mestre em Ensino de Ciências (Modalidade Física) pela Universidade de São Paulo - USP (2007); Doutor em Ciências pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2011) e Pós-doutor em Educação em Ciências pela Universidade do Minho - UMinho/PT (2016) e em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2018). É professor Associado do Departamento de Ciências; do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática - PCM e do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Rede Nacional para o Ensino das Ciências Ambientais - PROFCIAMB, da UEM. Coordena o Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências, Formação de Professores e Representações Sociais - CIENCIAR, membro do Grupo de Pesquisa GETEPEC, da UEL, e parceira em pesquisa com o CIEC, do Instituto de Educação da UMinho de Portugal. Atuou como Coordenador do Pibid Física-CRG (2012 - 2014) e Coordenador de Gestão do Pibid UEM (2014 - 2016). Coordenou o curso de graduação em Licenciatura Plena em Ciências por duas gestões (2012-2014 e 2014-2016). Atualmente é Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação PCM e coordena um Projeto de Pesquisa (MCTI/CNPq/Universal 14/2014) interinstitucional entre UEM, UNIJUÍ e UMinho/Pt. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores e representações sociais.

Publicado
2020-01-02
Como Citar
Gaspi, S., & de Oliveira Magalhães Júnior, C. (2020). ENSINO HÍBRIDO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA INTERSECÇÃO POSSÍVEL. Revista Contexto & Educação, 35(110), 142-162. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2020.110.142-162