A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO A PARTIR DAS EXPERIÊNCIAS EM ESTÁGIOS E TCCs

Palavras-chave: Experiências Pedagógicas. Ensino de Ciências. Ensino de Matemática. Educação do Campo.

Resumo

Dois momentos apresentam papel central na formação de professores: o Estágio Curricular Supervisionado e o Trabalho de Conclusão de Curso. Na Educação do Campo tais percursos formativos são pouco explorados quanto à sua natureza e capacidade de refletir a identidade dos estudantes. Este artigo origina-se das experiências pedagógicas de professores no contexto de um Curso de Licenciatura em Educação do Campo nas áreas do conhecimento Ciências da Natureza e Matemática e tem como objetivo discutir características e natureza da formação de Licenciandos em Educação do Campo tendo como objetos de análise suas produções e experiências nestes dois componentes curriculares, desenvolvidos na perspectiva da Pedagogia da Alternância. A pesquisa é de natureza qualitativa e utiliza como material empírico produções escritas dos TCCs e dos relatórios de estágio supervisionados e orientados pelos autores ao longo dos últimos anos. Observa-se que o trabalho, decorrente do modo de vida camponês, percorre as produções tanto em Ciências quanto em Matemática. Enquanto em Ciências da Natureza os estágios dão ênfase à possibilidade de articularem temáticas externas ao currículo a conteúdos canônicos do Ensino de Ciências, na Matemática são as tendências teórico-metodológicas que expressam o diálogo com os temas do cotidiano nos estágios e TCCs analisados.

Biografia do Autor

Daniel Fernando Bovolenta Ovigli, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

É licenciado em Ciências Exatas - Habilitação Matemática pela Universidade de São Paulo (USP), licenciado em Ciências Biológicas, especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática e em Planejamento, Implementação e Gestão da EaD, ambas pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestre em Educação [linha de pesquisa: Ensino de Ciências e Matemática] pela Universidade Federal de São Carlos (PPGE/UFSCar) e doutor em Educação para a Ciência pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Atualmente é professor do Departamento de Educação em Ciências, Matemática e Tecnologias (DECMT), vinculado ao Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação (ICENE) da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) onde atua nos cursos de graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFTM). Em seu currículo os termos mais ocorrentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: educação em ciências, educação matemática, divulgação científica, museus de ciências e formação de professores.

Verônica Klepka, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Possui Licenciatura em Ciências/Biologia (2008), Especializações em Meio Ambiente e Recursos Hídricos (2009) e Metodologia do Ensino Superior (2011), Mestrado (2014) e Doutorado (2017) em Educação para a Ciência e o Ensino de Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Atualmente é professora Adjunta da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), na área de Ciências da Natureza, Curso de Licenciatura em Educação do Campo, Professora do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências e Matemática e colaboradora no Programa de Pós Graduação em Educação- ambos da UFTM. Tem experiência na área de Ensino de Ciências, atuando principalmente na Formação de Professores de Ciências. Participa do grupo de estudos e pesquisas da UFTM: Integração de Saberes na Formação de Professores de Ciências para o Campo.

Publicado
2020-06-09
Como Citar
OvigliD., & KlepkaV. (2020). A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO DO CAMPO A PARTIR DAS EXPERIÊNCIAS EM ESTÁGIOS E TCCs. Revista Contexto & Educação, 36(113). Recuperado de https://revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/10438