PROFESSORAS QUE ENSINAM MATEMÁTICA E UM DENOMINADOR COMUM: GRUPO COLABORATIVO

Palavras-chave: Educação Matemática. Grupo Colaborativo. Reflexão sobre a Prática.

Resumo

Analisamos o movimento da constituição de um grupo de trabalho colaborativo, especificamente, o papel do processo de reflexão sobre a prática, oportunizada pelo registro reflexivo de duas integrantes a partir da fotografia e de videogravação das aulas de Geometria. O referencial teórico abarca questões ligadas à aprendizagem do professor que ensina Matemática no ambiente dos grupos colaborativos, bem como do processo de sua formação continuada com base na prática reflexiva. A metodologia adotada se inscreve no campo dos estudos qualitativos, de caráter descritivo-analítico, em que a experiência releva características da colaboração no espaço de discussão coletiva como sendo um aspecto promissor dos procedimentos de produção de dados. Os resultados finais, permitem fazer a inferência de que as docentes tiveram suas práticas modificadas a partir do direcionamento das atividades propostas no grupo com base na dinâmica de registrar e compartilhar as aulas, questão central que levantou a necessidade de escrever, narrar e/ou gravar a própria atuação como fonte de desenvolvimento profissional. Esse dado trouxe ainda a compreensão de que, no compartilhar das ações, o sujeito se reconhece como protagonista de sua atividade e pode contribuir com o fazer do outro, corroborando a assertiva “o que falta em mim sobra em você”.

Biografia do Autor

Marcielli de Lemos Cremoneze, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Instituto de Matemática INMA Campo Grande

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (EDUMAT0 do Instituto de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Campo Grande; Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, Câmpus Naviraí; Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre o Início da Docência e o Ensino de Matemática (GEPIDEM/UFMS) e do Grupo de Investigação Práticas Colaborativas em Educação Matemática (GIPCEM), ambos cadastrados no CNPq. Tem experiência na área de Educação e Educação Matemática, com ênfase em Formação de Professores, Práticas Colaborativas e Ensino de Matemática.

Klinger Teodoro Ciríaco, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP

Professor Adjunto, em regime de Dedicação Exclusiva, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTPP) do Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH) concursado na área de "Educação Matemática nos anos iniciais". Líder do MANCALA - "Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática, Cultura e Formação Docente" (CNPq/UFSCar). É docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (Mestrado e Doutorado) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS Campo Grande, atuando na linha de pesquisa "Formação de Professores e Currículo". tualmente desenvolve estudos e pesquisas com ênfase nos seguintes temas: Interculturalidade, Psicologia da Educação Matemática, Formação de Professores, Início da Docência, Desenvolvimento Profissional e Grupos Colaborativos. 

Publicado
2020-09-09
Como Citar
CremonezeM., & CiríacoK. (2020). PROFESSORAS QUE ENSINAM MATEMÁTICA E UM DENOMINADOR COMUM: GRUPO COLABORATIVO. Revista Contexto & Educação, 35(112), 412-431. https://doi.org/10.21527/2179-1309.2020.112.412-431